Notice (8): Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE [APP/app_controller.php, line 69]
Tupi Records-Brazilian Music Label- トゥピ・レコーズ-ブラジル度数100%の新レーベル

Artistas

Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz


Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz

Bio

Jazz com cara de Brasil

A parceria do bandolinista Diogo Guanabara com o grupo Macaxeira Jazz, mostra que jazz combina muito bem com baião. Os músicos da cidade de Natal, RN, se apresentam juntos há quatro anos, e já contabilizam duas turnês internacionais, dois CDs e um DVD lançados.

O quarteto firmou-se unindo ritmos clássicos estrangeiros – como jazz e blues - com os brasileiríssimos samba, frevo, baião e chorinho. Diogo Guanabara (bandolim), Henrique Pachêco (baixo), Raphael Bender (bateria) e Ticiano D’amore (guitarra), têm um extenso trabalho autoral. Mas eles também tem como características marcantes, a criatividade e ousadia para fazer releituras de grandes clássicos da música. Nomes como Beatles, Michael Jackson e Astor Piazzola, ganham versões inusitadas, em ritmos tipicamente brasileiros, que agradam às plateias mais exigentes, no Brasil e no exterior.

Além de apresentações em festivais e casas de shows do Nordeste do país, Diogo Guanabara e Macaxeira Jazz já levaram a música verde e amarela ao Japão e à Europa. Em 2008, eles se apresentaram em quatro cidades japonesas, e na Holanda. Já no ano seguinte, a turnê europeia, além da Holanda, alcançou a Áustria, Eslovênia e Itália.

O primeiro registro do trabalho do grupo, foi o DVD Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz ao vivo, lançado em 2008, também com a versão em CD. Já em 2009, eles lançaram o CD Capanga Moderna, somente com músicas autorais. E atualmente trabalham na gravação de um novo álbum.

História

Diogo Guanabara toca desde os nove anos de idade, quando começou a estudar cavaquinho. Depois interessou-se pelo bandolim e passou a dominar os dois instrumentos. Apesar da pouca idade, possui um currículo musical extenso, onde coleciona trabalhos com artistas como Oswaldo Montenegro, Benito de Paula e Roberta Sá, Yamandu Costa e Armandinho. Além disso, Guanabara também participou do último disco de Oswaldo Montenegro, e de um DVD gravado em homenagem a Jacob do Bandolim.

O Macaxeira Jazz é formado por Ticiano D'Amore na guitarra, Henrique Pacheco no baixo, Raphael Bender na Bateria, e existe desde 2004. O grupo ainda conta com a ajuda luxuosa de um quarto integrante, Marco Antônio da Costa que hoje mora em Graz na Áustria onde está concluindo o bacharelado em Guitarra Elétrica. Apresenta-se como um grupo jovem, porém bastante refinado. Seus integrantes foram alunos de grandes instrumentistas potiguares como Joca Costa, Manoca Barreto e Júnior Primata.

Diogo Guanabara (mandolim, tenor guitarra, vocal)

Diogo Guanabara iniciou seus estudos de música aos 9 anos de idade. Seu primeiro instrumento foi o cavaquinho, porém começou a estudar bandolim buscando ampliar seus conhecimentos musicais.

Em 2000, ganhou o troféu Clave de Sol oferecido pelo prêmio Hangar, onde foi reconhecido como instrumentista revelação pelos júris popular e oficial. Apresentou-se no Festival de Música Brasileira na França, onde também participaram Jorge Ben Jor, Chico César e Renato Borgheti. Ainda nesse ano, teve a oportunidade de mostrar seu trabalho no Clube do Choro de Brasília, onde conseguiu boa repercussão da mídia.

Em 2002, no Rio de Janeiro, ao lado de nomes como Hamilton de Hollanda, Yamandu Costa e Armandinho, participou do álbum duplo "Ao Jacob, seus Bandolins" lançado pela gravadora Biscoito Fino em homenagem a Jacob do Bandolim, produzido por Hermínio Bello de Carvalho. Gravou o CD “Reminiscências” em parceria com Mauro Senise e acompanhado pelo Conjunto Época de Ouro, e um DVD, ao lado dos bandolinistas Bruno Rian e Rodrigo Lessa (do grupo Nó em Pingo d`água).

Entre 2005 e 2006 trabalhou com Oswaldo Montenegro. No último disco do menestrel participou de algumas faixas, dentre elas “Quando a gente ama”, que foi da trilha sonora da telenovela “Sinhá Moça” da TV Globo.

Diogo já dividiu o palco com artistas de renome como Luis Melodia, Benito di Paula, Roberta Sá, Oswaldo Montenegro e Baden Powell.

Raphael Bender (bateria, percussão)

Desde criança, Raphael já mostrava aptidão e talento para as percussões. Apesar disso, foi somente aos 14 anos que ele escolheu o instrumento ao qual se dedicaria, a bateria. E desde cedo, Raphael mostrava sinais de uma talentosa trajetória.

Tocou com diversos grupos da cidade, a maioria deles de rock´n roll e música pop, Atualmente, além do Macaxeira Jazz, participa da banda Uskaravelho e Experiência Ápyus, grupos de renome na cidade.

A veia musical brasileira sempre foi muito forte, é uma influência perceptível nos trabalhos anteriores dos quais Bender fez parte. A partir de 2006, participou de grupos mais voltados para a música brasileira e instrumental, e foi nesse período que começou a acompanhar o bandolinista Diogo Guanabara e a fazer parte do grupo Macaxeira Jazz. “Cada ensaio do Macaxeira Jazz é um trabalho de estudo rítmico e amadurecimento musical”, ressalta Raphael.

Paralelo ao trabalho musical, Raphael é biólogo e atua na área de psicobiologia, desenvolvendo pesquisas relacionadas à memória, emoção e música.

Henrique Pachêco (baixo)

Natural de Natal, Henrique começou a tocar violão e guitarra aos 14 anos de maneira autodidata, seguindo os passos de seu pai, que também toca guitarra. Aos 17, em Natal, formou junto com o irmão Marcelo Pachêco e o amigo Ticiano D'Amore a banda de rock Kassaca, que em 2003, gravou o disco Brincando com Fogo, apenas com composições próprias.

Participou também, em 2001, como músico e compositor no disco Tsunami, da banda potiguar Base Livre. Teve como professor de guitarra Joca Costa de 2001 a 2005 e em 2003 ingressou no Curso Técnico de Guitarra Elétrica da UFRN, concluindo em 2005. Em 2006 despertou interesse pelo baixo elétrico, e hoje toca tanto guitarra quanto baixo. Suas principais influências são os ritmos estrangeiros Rock, Blues e Ska, e os brasileiros Baião, Samba e Bossa Nova. Isso sem contar seu recente interesse pela música instrumental, principalmente o Jazz e o Choro, que o fez liderar a criação do Macaxeira Jazz, grupo com o qual lançou 2 discos e realizou 2 turnês internacionais, pelo Japão e Europa.

Além do Macaxeira Jazz e Kassava, também trabalha como técnico de áudio no estúdio Megafone, em Natal. Em 2000 ingressou na faculdade de Administração da “Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN”, concluindo no final de 2004.

Ticiano D´Amore (semi guitarrra)

Ticiano D´Amore nasceu em Novembro de 1981. O pai, maestro da Orquestra Sinfônica do RN e a mãe, pianista, o iniciaram no universo da música desde cedo. Até os doze anos, estudou vários instrumentos como violino, piano, flauta doce, transversal, mas nenhum deles despertou realmente seu interesse. Então aos quinze, Ticiano começou a estudar violão e guitarra elétrica.

Foi aluno do renomado guitarrista Joca Costa. Como violonista, recebeu elogios de personalidades como Sivuca e Henrique Annes, e trabalhou com músicos de renome no Rio Grande do Norte como Jubileu Filho, Carlinhos Zens, Galvão Filho e Diogo Guanabara. Mas foi como guitarrista que Ticiano conseguiu suas maiores conquistas. Em 2001 recebeu o prêmio Hangar como Guitarrista revelação pelo Júri Oficial. Nessa época tocava na banda Kassava, que ganhou o festival Pop Rock Tropical 2001, concorrendo com mais de setenta bandas.

Em Janeiro de 2003 foi aprovado em primeiro lugar nas seleções para o Curso Técnico de Guitarra da EMUFRN, concluindo em 2006. Até então, Ticiano tem participações guitarrísticas e vocais em onze CDs de estilos diversos. Em 2008 ganhou o prêmio Rock Potiguar de melhor instrumentista rocker de 2007. Suas maiores influências guitarristicas são Luis Salinas, Pat Metheny, Wes Montgomery, John Petrucci, Steve Vai e Jubileu Filho.

Ticiano D´Amore é professor da Escola de Música da UFRN. Possui um home studio onde faz gravações de trilhas, jingles e conjuntos musicais menores. Tem um trabalho humorístico de renome nacional no site, que consiste em um personagem em áudio chamado Uílame, o metaleiro. É formado em Administração pela UnP e é mestre em Administração pela UFRN. mãe, pianista, o iniciaram no universo da música desde cedo. Até os doze anos, estudou vários instrumentos como violino, piano, flauta doce, transversal, mas nenhum deles despertou realmente seu interesse. Então aos quinze, Ticiano começou a estudar violão e guitarra elétrica.

Foi aluno do renomado guitarrista Joca Costa. Como violonista, recebeu elogios de personalidades como Sivuca e Henrique Annes, e trabalhou com músicos de renome no Rio Grande do Norte como Jubileu Filho, Carlinhos Zens, Galvão Filho e Diogo Guanabara. Mas foi como guitarrista que Ticiano conseguiu suas maiores conquistas. Em 2001 recebeu o prêmio Hangar como Guitarrista revelação pelo Júri Oficial. Nessa época tocava na banda Kassava, que ganhou o festival Pop Rock Tropical 2001, concorrendo com mais de setenta bandas.

Em Janeiro de 2003 foi aprovado em primeiro lugar nas seleções para o Curso Técnico de Guitarra da EMUFRN, concluindo em 2006.. Até então, Ticiano tem participações guitarrísticas e vocais em onze cds de estilos diversos. Em 2008 ganhou o prêmio Rock Potiguar de melhor instrumentista rocker de 2007. Suas maiores influências guitarristicas são Luis Salinas, Pat Metheny, Wes Montgomery, John Petrucci, Steve Vai e Jubileu Filho.

Ticiano D´Amore é professor da Escola de Música da UFRN. Possui um home studio onde faz gravações de trilhas, jingles e conjuntos musicais menores. Tem um trabalho humorístico de renome nacional no maior e mais visitado site de cifras e tablaturas do país (http://cifraclub.terra.com.br/noticias/colunas/h-uilame.html), que consiste em um personagem em áudio chamado Uílame, o metaleiro. É formado em Administração pela UnP e é mestre em Administração pela UFRN.

Marco Antônio da Costa (nylon guitar,teclado)

Marco Antônio da Costa nasceu em Natal - RN. Começou a tocar piano com 5 anos de idade e estudou piano clássico até os 13 anos, logo depois conheceu a guitarra elétrica e o violão e passou a se dedicar a esses instrumentos como autodidata. Desde os 13 anos atua como músico em Natal. Aos 17 anos começou a estudar guitarra elétrica com Joca Costa e Manoca Barreto.Em 2004, conclui o Curso Técnico de música na UFRN em 2004, e retorna ao estudo do piano, dessa vez com o enfoque no Jazz e MPB.

Participou em diversas apresentações dentro e fora do estado do RN, no Cascavel Jazz Festival em Cascavel - Paraná, 2004. Frequentou por 3 anos consecutivos o Curso de Verão de Brasília, fez o Curso de Férias de Tatuí em 2005 (Conservatório de Tatuí- SP) e, em 2007, participou do IV Festival de Música de IBIAPABA de Viçosa, no Ceará. Marco Antônio é formado em Jornalismo, mas, a paixão pela música sempre falou mais alto. Em 2005, foi estudar na Faculdade internacional de música Souza Lima & Berklee em São Paulo, onde conseguiu uma bolsa de estudos para estudar na reconhecida faculdade americana Berklee College of Music em Boston, porém não atendeu ao convite.

Em Natal, sempre esteve atuante no cenário musical tocando com grupos e cantores de vários estilos como Kassava, Apollo 11, Rodolfo Amaral, Simona Talma, Antônio de Pádua, Ana Paula, Diana Cravo, Liz Rosa (Elis Rosa), Erick Von Sohsten, Diogo Guanabara, Macaxeira Jazz entre muitos. De 2006 a 2008, tocou em navios de cruzeiros, como o Pacific e o Grand Voyager, onde teve a oportunidade de conhecer músicos, cantores e artistas de todo o país e América Latina, mostrar o seu trabalho de música instrumental, e tocar em orquestras de espetáculos musicais e grupos de Samba, Bossa Nova, Chorinho e MPB.

Realizou gravações com o grupo "Base Livre", "Kassava", "Na Maré", "Macaxeira Jazz", e com os cantores Erick Von Sohsten e Liz Rosa, entre outros. Em 2006, começou a participar efetivamente do projeto "Macaxeira Jazz", idealizado por Henrique Pachêco (baixo, violão, guitarra) e integrado pelos músicos Raphael Bender (Bateria) e Ticiano D´amore (Guitarra), todos amigos de longa data. Posteriormente esse projeto viria a se expandir com a parceria do bandolinista Diogo Guanabara.

Em 2008, Marco Antônio da Costa decidiu mudar-se para Graz, na Áustria para estudar Jazz na renomada Kunstuniversität Graz. Atualmente reside em Graz, mas tem viajado constantemente para fazer shows de Jazz, Pop, e Música Popular Brasileira na Áustria (Vienna, Klagenfurt, Leibinitz), na Bélgica (Antwerp) e na Hungria (Budapest).

Lançamento


Capanga Moderna Capanga Moderna